Último dia para inscrição na formação audiovisual gratuita para mulheres do RJ

De acordo com dados levantados pelo IBGE em pesquisa sobre acesso à internet no Brasil, apenas 54% da população brasileira acessa regularmente, e deste montante, apenas 39,5% são negros. E para diminuir esse abismo digital e fortalecer o poder da voz e impacto das narrativas de mulheres negras, indígenas, trans e cis na web, o coletivo carioca Az Pretaz lança o Lab Pretaz_HUB, um curso gratuito de formação em audiovisual exclusivo para esse público.

Os encontros serão realizados do dia 13 a 16 de março, no Inova Colab, sediado no Morro da Conceição, no Rio de Janeiro para uma turma de 20 alunas. As aulas vão unir teoria e prática, abordando assuntos como linha editorial e roteiro para plataformas digitais, ativismo audiovisual e captação e edição de áudio e vídeo com dispositivos móveis.

Para participar do Lab Pretaz_HUB é preciso ter de 18 a 65 anos e projetos de ativismo, afroempreendedorismo e feminismo interseccional que necessitem de conhecimentos em audiovisual para desenvolver ou aperfeiçoá-los, a fim de fortalecer uma rede de colaboração entre mulheres negras, trans, cis, indígenas e realizadoras digitais.

O curso terá carga horária total de 16h e oferecerá ajuda de custo e alimentação para as selecionadas. As inscrições terminam hoje, 9 de fevereiro. Mais informações, acesse: https://goo.gl/8cGGBS .

Sobre Pretaz_HUB
O Pretaz_HUB, idealizado pelo AzPretaz – Coletivo Feminino de Comunicação & Tecnologia, tem como proposta trabalhar com a formação de mulheres negras, trans, cis e indígenas na comunicação e tecnologia a partir da criação de uma rede de colaboração entre mulheres negras e indígenas empreendedoras digitais, youtubers, blogueiras, coletivos de produção audiovisuais e realizadoras independentes.

Sobre AzPretaz
Formado por mulheres pretas na comunicação e tecnologia, o coletivo nasceu da necessidade de participação desse grupo nas mídias sociais e se sustenta em 3 pilares principais: ativismo audiovisual, afro empreendedorismo e feminismo negro.

Topo