Você esta aqui
Home >

De 04 a 07 de maio
PUC
Rio de Janeiro – RJ

Diversos profissionais do cinema brasileiro participaram da Semana ABC 2011. Neste ano, a Semana aconteceu na PUC, do Rio de Janeiro, e homenageou o cineasta Walter Lima Júnior.

Veja aqui as palestras.

Correalização: Cinemateca Brasileira
Patrocínio: PUC Rio
Copatrocínio: CiaRio, Fujifilm e Kodak
Apoio: Arri, Câmera 2, Casablanca, Dot, Electrica, JKL, Panasonic, Sociedade Amigos da Cinemateca, Sony e TeleImage
Divulgação: Revista de Cinema

PROGRAMAÇÃO SEMANA ABC 2011

4ª feira, dia 04/05/2011

Manhã

Mesa 1 – 9h30 às 11h30

“Fundamentos de Estereografia – 3D”

Palestra e discussão do texto: elementos fundamentais entre a nossa percepção estereoscopica, a captação e projeção estereográfica.

Por Affonso Beato, ASC, ABC

Ao longo de sua carreira como diretor de fotografia, Affonso Beato filmou mais de cinquenta longas, 300 comerciais e 20 documentários, cinco deles sob sua direção. Teve o privilégio de colaborar com diretores de renome internacional, como Stephen Frears – A Rainha; Pedro Almodóvar – Tudo Sobre Minha Mãe – Carne Trêmula – A Flor do Meu Segredo; Mike Newell – O amor nos tempos do Cólera; Walter Salles – Dark Water ; Jonathan Lynn – Resistindo às Tentações; Jim McBride – Acerto de contas, A Fera do Rock; Glauber Rocha – Antonio das Mortes.

Tarde

Mesa 2 – 13h30 às 15h30

Apresentação da SONY

“Tecnologias para a produção”

Uma visão geral das tecnologias atuais para aplicação em Produção: uma abordagem da evolução e benefícios da captação em 35mm digital, com a evolução e linha de produtos atual tanto para produção com pequeno investimento bem como as alternativas para produções com a melhor tecnologia existente. Apresentação das tecnologias de captação e armazenamento em memória de estado sólido como formato consolidado para o mercado de produção e as alternativas de formatos de gravação como HDCAM SR e  XDCAM HD . Explicação dos conceitos da produção 3D com apresentação das opções de alta performance com uso de sistemas de RIG bem como opções de baixo custo com câmeras específicas para a produção 3D, mostrando também alguns cuidados e recursos para oferecer soluções que permitam a produção 3D desde a lente até a visualização na sala de estar, dentro das diversas realidades de orçamento.  A evolução da tecnologia de monitoração e adoção do OLED como tecnologia para monitor de alta qualidade necessário na cadeia de produção.

Por Erick Soares

Engenheiro de Suporte a Vendas da Sony, especialista em tecnologias e produtos no mercado de Broadcast.

Mesa 3 – 16h às 18h

“Visualização em TV / Cinema Digital e Games”

A mesma tecnologia e processos de produção de conteúdo digital são utilizados no cinema, na televisão e nos videogames. Qual é o novo conceito de conteúdo digital? Que tipo de profissional está sendo requisitado pelo novo mundo digital que se manifesta convergente, ubíquo, universal, orientado a nicho e interativo? Qual é a dinâmica da inovação na indústria do entretenimento digital? Quais são as novas direções em luz, movimento e storytelling? O que é visualização e que revolução ela representa?

Por Bruno Feijó

Professor e pesquisador do grupo de Computação Gráfica e Entretenimento Digital do Dept. de Informática/CTC da PUC-Rio, Coordenador do laboratório de pesquisa VisionLab, editor da série Media Technology da Elsevier do Brasil, engenheiro pelo ITA e PhD pela University of London, Imperial College.

5ª feira, dia 05/05/2011

Manhã

Mesa 4 – 9h30 às 11h30

Mesa PUC –  Qual é o Tamanho do Nosso Mercado Audiovisual?

A ideia de uma indústria audiovisual se torna cada vez mais fortalecida pelos números apresentados pelo cinema no ano de 2010 e a continuidade da força da televisão brasileira no segmento da tele dramaturgia. Ainda podemos considerar a produção de filmes publicitários e o número crescente de programas independentes como um indício do crescimento da atividade.

No sentido contrário, ainda é necessário utilizar  incentivos fiscais e editais para ter acesso a recursos para produção de projetos audiovisuais, além da dificuldade de importação de equipamentos que permitam modernizar o parque industrial a um custo accessível

O crescente número de escolas de cinema tem formado uma quantidade considerável de mão de obra que busca oportunidades de emprego. Qual seria o verdadeiro tamanho desse mercado de trabalho.

Diante desse panorama sem estatísticas precisas, podemos afirmar que o Brasil já tem uma indústria do audiovisual consolidada?

Além disso,  está preparada para enfrentar o aumento da demanda interna e a competição acirrada do mercado mundial de conteúdo audiovisual?

Coordenação: Marcelo Taranto

Participação:

Iafa Britz – Produtora

Sandra Korman – Psicóloga

Mario Diamante – Ancine

Pedro Butcher – Filme B

Tarde

Mesa 5 – 13h30 às 15h30

Mesa da Cinemateca Brasileira – “Banco de Conteúdos Culturais?”

O Banco de Conteúdos Culturais, realizado pela Cinemateca Brasileira, é fruto de uma cooperação entre o Ministério da Cultura e o Ministério da Ciência e Tecnologia que possibilita o uso da infra-estrutura da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa para a distribuição de obras audiovisuais.

A utilização dessa rede de conexão em alta velocidade representa a possibilidade de difusão dessas obras não apenas para a comunidade acadêmica e científica, mas também para o público em geral, ampliando o acesso público aos conteúdos audiovisuais que são sistematicamente preservados, catalogados e armazenados em condições técnicas adequadas.

Participação:

Osvaldo Emery

Rodrigo Mercês

Mesa 6 – 16h às 18h

“A Fotografia Cinematográfica pelo Olhar dos Diretores de Cena”

A fotografia sobre outro ponto de vista.

A visão do diretor sobre a fotografia, as parcerias e as discordâncias.

Coordenação: Maritza Caneca

Participação:

Felipe Joffily

Vicente Amorim

Walter Lima Junior

6ª feira, dia 06/05/2011

Manhã

Mesa 7 – 9h às 10h30

Apresentação Panasonic

“Novas soluções para produção cinematográfica”
Abordagem tecnológica dos novos produtos para captação em 3D (câmeras AG-3DA1 e AG-3DP1) e com sensor de 4/3″ (câmera AG-AF100) utilizando memória de estado sólido.

Por Renato Goya

Engenheiro de Suporte e Aplicação da Panasonic, especialista em produtos Broadcast e Profissionais.

Mesa 8 – 11h às 13h

“O Som no Audiovisual – da Pré a Pós produção”

O som durantes as filmagens e na finalização. Encontros e desencontros com os outros profissionais

Coordenação: Carlos Klachquin

Participação:

Nonato Estrela

Silvia Ramos

Jorge Saldanha

Maria Muricy

Tarde

Mesa 9 – 14h às 16h                     

Apresentação ARRI – “Arri na Captação Digital”

Por Jeffrey Reyes

Atuou como diretor, produtor, roteirista, assistente de direção e editor em diversos comerciais, video-clips, filmes e na TV. Atualmente é gerente de vendas de câmeras e luz da ARRI para a América do Sul.

Local: Sala K 102 – 14h às 16h                     

Encontro aberto dos Profissionais do Som

Mesa 10 – 16h30 às 18h30

“Como decidir o formato adequado de captação para um projeto Audiovisual”

Conceito: textura, agilidade, portabilidade, segurança

O Fantasma do Armazenamento – Workflow, Custo e Mídias

Coordenação: Carlos Pacheco

Participação:

José Francisco Neto

Murillo Salles

Walter Carvalho

Topo