53º Festival de Cinema de Brasília acontece até 20/12 em formato virtual

Foto: Fabio Rodrigues/Agência Brasil

O festival de cinema mais antigo do Brasil começa nesta terça-feira (15), em Brasília, e vai até o dia 20 de dezembro. Em tempos de pandemia, o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (FBCB), que está na sua 53ª edição, teve que se reinventar e se adaptar a um novo formato. Este ano, será todo virtual.

O professor de Audiovisual Alex Midigal conta que há anos não perde uma edição da mostra de cinema. Ele lembra que o evento faz parte da construção da cultura audiovisual do país e do cinema nacional. “Eu me lembro, desde os anos 90, assistindo filmes como Baile Perfumado. Nos anos 2000, Amarelo Manga. Foram filmes muito importantes para minha formação. Hoje, sou docente na área de audiovisual muito por esse fascínio que o Festival de Brasília construiu em mim”, conta.

Este ano, o governo local chegou a cancelar o festival em razão da pandemia, mas voltou atrás. O Secretário de Cultura do Distrito Federal, Bartolomeu Rodrigues, lamenta que o festival não seja presencial, mas reconhece que não haveria como realizar o evento com segurança e os cuidados sanitários para que o público não corresse risco por conta do novo coronavírus. Rodrigues diz que uma das novidades deste ano é o juri popular virtual. “Pelo site da Secretaria de Cultura qualquer pessoa poderá votar no filme preferido”, destaca Rodrigues.

A partir das 23h, o festival será transmitido pela internet e pelo Canal Brasil. Até o próximo domingo (21), os filmes selecionados para a mostra competitiva serão exibidos sempre às 23h. De 680 inscrições de filmes inéditos, 30 foram escolhidos.

O público vai trocar a tela do cinema pela televisão ou pelo computador. Bem diferente dos anos anteriores, o Cine Brasília ficará silencioso, como lembra o curador do festival, o cineasta Silvio Tendler. “Mas espero que ano que vem estejamos todos prontos para lotar novamente o Cine Brasília, para os aplausos, vaias, lágrimas e risos”, diz.

Na programação há espaço também para rodas de conversas. Haverá mesas de debate virtuais com cineastas nacionais e internacionais.

Entre os filmes selecionados, estão o documentário Espero que Esta te Encontre e que Estejas Bem, de Natara Ney, e o filme Longe do Paraíso, de Orlando Senna. Também o documentário A Morte Branca do Feiticeiro Negro, de Rodrigo Ribeiro, e A Tradicional Família Brasileira KATU, de Rodrigo Sena.

Programação:

Mostra Oficial Longa-Metragem
Dia 15 de dezembro de 2020

“Espero que Esta te Encontre e que Estejas Bem”
(Natara Ney, Documentário, PE/RJ/MS, 83 min)
Canal Brasil, às 23h
Dia 16 de dezembro de 2020

“Longe do Paraíso”
(Orlando Senna, Ficção, BA, 106 min)
Canal Brasil, às 23h
Dia 17 de dezembro de 2020

“A Luz de Mario Carneiro”
(Betse de Paula, Documentário, RJ, 73 min)
Canal Brasil, às 23h
Dia 18 de dezembro de 2020

“Por Onde Anda Makunaíma?”
(Rodrigo Séllos, Documentário, RR, 84 min)
Canal Brasil, às 23h
Dia 19 de dezembro de 2020

“Entre Nós Talvez Estejam Multidões”
(Aiano Bemfica e Pedro Maia de Brito, Documentário, MG/PE, 92 min)
Canal Brasil, às 23h
Dia 20 de dezembro de 2020

“Ivan, O TerrirVel”
(Mario Abbade, Documentário, RJ, 103min)
Canal Brasil, às 23h

Mostra Oficial Curta-Metragem
Todos os curtas da mostra oficial estarão disponíveis na plataforma de streaming Canais Globo, entre os dias 15 e 20 de dezembro. Veja lista abaixo:

“A Morte Branca do Feiticeiro Negro” – (Rodrigo Ribeiro, Documentário, SC, 11mim)
“A Tradicional Família Brasileira KATU” – (Rodrigo Sena, Documentário, RN, 25mim)
“Distopia” – (Lilih Curi, Ficção, BA, 10m38s)
“Guardião dos Caminhos” – (Milena Manfredini, Experimental, RJ, 3 mim)
“Inabitável” – (Matheus Faria e Enock Carvalho, Ficção, PE, 19m57s)
“Inabitáveis” – (Anderson Bardot, Ficção, ES, 25m)
“Noite de Seresta” – (Muniz Filho, Sávio Fernandes, Documentário, CE, 19m)
“Ouro Para o Bem do Brasil” – (Gregory Baltz, RJ, Documentário, 17m24s)
“Pausa Para o Café” – (Tamiris Tertuliano, Ficção, PR, 5mim)
“República” – (Grace Passô, Ficção, SP, 15m30s)
“Quanto Pesa” – (Breno Nina, Ficção, MA, 23min)
“Vitória” – (Ricardo Alves Jr. Ficção, MG, 14m)

Mostra Brasília
A Mostra Brasília traz 12 filmes – quatro longas e oito curtas – produzidos no Distrito Federal, sobre temas diversos. A maioria foi financiada com recursos do Fundo de Apoio à Cultura (FAC). As obras também estarão disponíveis na plataforma Canais Globo, de 15 a 20 de dezembro. Veja lista abaixo:

Longas

“O Mergulho na Piscina Vazia” – (Edson Fogaça, Documentário, 83min)
“Cadê Edson?” – (Dácia Ibiapina, Documentário, 72 min)
“Candango: Memórias do Festival” – (Lino Meirelles, Documentário, 119 min)
“Utopia Distopia” – (Jorge Bodanzky, Documentário, 74 minutos)
Curtas

“Algoritmo” – (Thiago Foresti, Ficção, 20min)
“Questão de Bom Senso” – (Péterson Paim, Documentário, 29m53s)
“Do Outro Lado” – (David Murad, Ficção, 15m36s)
“Rosas do Asfalto” – (Daiane Cortes, Documentário, 19m57s)
“Eric” – (Letícia Castanheira, Documentário, 13m50s)
“Brasília 60 + 60: Do Sonho ao Futuro” – (Raquel Piantino, Animação, 13mim)
“Delfini Brasília, Olhar Operário” – (Maria do Socorro Madeira, Documentário, 22m58s)
“Curumins” – (Pablo Ravi, Documentário, 17m14s)

Com informações de Kariane Costa / Agência Brasil

Topo