Bienal do Cinema Sonoro divulga filmes da edição 2021

“Luz nos Trópicos”, de Paula Gaitán

A 3ª BIS – Bienal Internacional do Cinema Sonoro anuncia a seleção oficial de filmes que serão exibidos através do serviço de streaming Petra Belas Artes À La Carte. O público poderá assistir às produções entre os dias 2 e 5 de dezembro em  sessões gratuitas. São 15 curtas e 13 longas-metragens brasileiros selecionados, que concorrem em nove categorias competitivas. Pela primeira vez em formato totalmente virtual, o evento também oferece ações formativas, painéis, lives e outras atividades durante a programação, que será divulgada em breve.

Com o desafio de redesenhar a edição para o formato online, a 3ª BIS anuncia a parceria com o Petra Belas Artes À La Carte, serviço que faz parte do Belas Artes Grupo. O serviço de streaming possui curadoria especial de produções com a marca do tradicional Cine Belas Artes, em São Paulo, e é o responsável pela exibição dos filmes para o público da bienal.

Desde a sua estreia na cidade de Goiânia, em 2017, a BIS propõe uma visão original do cinema contemporâneo, focada no desenvolvimento dos aspectos sonoros. Os curtas e longas-metragens selecionados para esta 3ª edição concorrem em nove categorias competitivas: Melhor Som; Melhor Direção de Som; Melhor Som Direto; Melhor Edição de Som; Melhor Mixagem de Som; Melhor Efeitos Sonoros; Melhor Música Original; Melhor Desenho de Som e Melhor Edição de Diálogos.

A organização pensou uma mostra competitiva diferente desta vez: um conselho de jurados de diversas associações de profissionais da área (ABRA, A3pS, API, AMC, Edt.Rio e  Musimagem) votaram nos filmes após a inscrição e a primeira triagem do festival. Da mesma forma, o júri jovem, formado por estudantes de audiovisual da Universidade Estadual de Goiás (UEG), também votaram nos filmes dessa primeira triagem. Os mais votados de cada categoria são as produções que serão exibidas na mostra competitiva. Os ganhadores serão revelados no último dia de evento, tanto para o júri oficial, quanto para o júri jovem.

Além das exibições de filmes, a programação da 3ª BIS segue com painéis, lives e atividades de capacitação profissional, como os cursos de mixagem e edição de diálogo, que já estão com inscrições encerradas, e o curso de Pro Tools, que abrirá inscrições no próximo dia 23. Mais detalhes sobre a programação completa serão divulgados em breve.

Confira os filmes selecionados para a BIS 2021:

LONGAS-METRAGENS

“A Arte Urbana”, de Bruno Armelin, concorre nas categorias Edição de Som e Música Original;

“A Barqueira”, de Sabrina Blanco, concorre nas categorias Som Direto, Edição de Som, Mixagem e Edição de Diálogo;

“A Febre”, de Maya Da-Rin, concorre nas categorias Edição de Diálogo e Som Direto;

“A Noite Amarela”, de Ramon Porto Mota, concorre nas categorias Música Original e Desenho de Som;

“A Primeira Morte de Joana”, de Cristiane Oliveira, concorre nas categorias de Melhor som, Mixagem, Efeitos Sonoros, Música Original e Som Direto;

“Ainda Temos a Imensidão da Noite”, de Gustavo Galvão, concorre nas categorias de Melhor Som, Música Original, Edição de Diálogo e Direção de Som;

“Benjamin Zambraia e o Autopanóptico”, de Felipe Cataldo, concorre nas categorias Efeitos Sonoros e Desenho de Som;

“Empate”, de Sérgio de Carvalho, concorre nas categorias Música Original, Edição de Diálogo,

“Luz nos Trópicos”, de Paula Gaitán, concorre nas categorias Melhor Som, Direção de Som, Desenho de Som, Edição de Som e Mixagem;

“Mães do Derick”, de Dê Kelm, concorre nas categorias Efeitos Sonoros;

“O Mergulho na Piscina Vazia”, de Edson Fogaça, concorre nas categorias Edição de Som;

“Toada Para José Siqueira”, de Eduardo Consonni e Rodrigo T. Marques,  concorre nas categorias, Melhor som, Direção de Som, Som Direto, Edição de Som, Mixagem, Edição de Diálogo

“Vento Seco”, de Daniel Nolasco, concorre nas categorias Edição de Som e Desenho de Som.

CURTAS-METRAGENS

“A Maior Massa de Granito do Mundo”, de Luis Felipe Labaki, concorre nas categorias Melhor Som, Edição de som, Mixagem e Música Original;

“Anamnese”, de Tiago Lipka, concorre nas categorias Mixagem e Desenho de Som;

“Atordoado, Eu Permaneço Atento”, Henrique Amud e Lucas H. Rossi dos Santos, concorre na categoria Edição de Som;

“Banca Paraíso”, de Giovanna Giovanini e Rodrigo Boecker, concorre nas categorias Som Direto e Mixagem;

“Copacabana Madureira”, de Leonardo Martinelli, concorre nas categorias Direção de Som, Som Direto, Edição de Som, Efeitos Sonoros e Desenho de Som;

“Dinheiro na Mão É…”, de Giancarlo Di Tommaso concorre nas categorias Edição de Diálogo;

“Inabitável”, de Matheus Farias e Enock Carvalho, concorre nas categorias Som Direto e Edição de Diálogo;

“Lora”, de Mari Moraga, concorre nas categorias Som Direto e Edição de Diálogo;

“Martelo, Bigorna e Estribo”, de de João Pedro Moraes concorre nas categorias Melhor Som, Direção de Som, Som Direto e Edição de Diálogo;

“Nervo Errante”, de Bruno Badain concorre nas categorias Direção de Som, Efeitos Sonoros, Desenho de Som, Edição de Som;

“Noite de Seresta”, de Sávio Fernandes e Muniz Filho, concorre nas categorias Som Direto e Edição de Diálogo;

“Portugal Pequeno”, de Victor Quintanilha concorre nas categorias Melhor Som, Som Direto, Edição de Som, Mixagem, Efeitos Sonoros, Música Original, Desenho de Som, Edição de Diálogo;

“Posso Fazê Nada!”, de Welyton Crestani concorre nas categorias Som Direto e Edição de Diálogo;

“Ser Feliz no Vão”, de Lucas H. Rossi dos Santos concorre nas categorias Edição de Som e Mixagem;

“Vagalumes”, de Léo Bittencourt concorre nas categorias Direção de Som, Som Direto, Edição de Som, Mixagem, Efeitos Sonoros e Desenho de Som

SERVIÇO

3ª BIS – Bienal Internacional do Cinema Sonoro
de 2 a 5 de dezembro de 2021
Transmissão:
Petra Belas Artes À La Carte: belasartesalacarte.com.br
Acompanhe: bis.art.br

 

Topo