Cinemateca apresenta 2ª edição da mostra Mulheres, Câmeras e Telas

Destaque da programação do ano passado da Cinemateca Brasileira, a Mostra Mulheres, câmeras e telas chega à sua segunda edição, que acontece entre os dias 14 e 31 de março. Importante ação de difusão da instituição, contempla ações de formação e reflexão, como a mostra de filmes – que possibilita novas leituras da historiografia do cinema – e encontros com realizadoras e profissionais do cinema brasileiro.

Entre as obras exibidas estão clássicos do cinema, filmes comercialmente inéditos em São Paulo, sucessos recentes do circuito de festivais de cinema e raridades brasileiras e estrangeiras, como o raro India Song (1975), dirigido pela também escritora Margueritte Duras, que será exibido em uma cópia 16mm pertencente ao acervo de difusão da instituição; obras da cantora, atriz, produtora e cineasta Norma Bengell, como a homenagem Maria Gladys: Uma atriz brasileira (1979) e O guarani (1996); o raro O pequeno exército louco (1984), primeiro filme dirigido por Lúcia Murat; O caso do homem errado (2017), de Camila de Moraes, primeira cineasta brasileira negra a lançar um longa-metragem no circuito comercial em mais de trinta anos; o delicado Café com canela (2017), de Ary Rosa e Glenda Nicácio, festejada estreia da dupla de cineastas em longas-metragens; os inéditos em circuito comercial, Ken Saro-Wiwa, presente! (2017), de Elisa Dassoler, retrato do escritor e ativista nigeriano homônimo, e Fabiana (2018), de Brunna Laboissière, que acompanha uma caminhoneira próxima de se aposentar; My Name is Now, Elza Soares (2014), de Elizabete Martins Campos, musical com a grande cantora Elza Soares; Tea for two (2018), curta-metragem de destaque no circuito de festivais, dirigido pela também atriz e roteirista Julia Katharine; e os fundamentais Cléo das 5 às 7 (1962), clássico de Agnès Varda, e Salve-me quem puder (1986), clássica comédia com Whoopi Goldberg, dirigida por Penny Marshall, cineasta falecida em dezembro último.

No dia 23, sábado, após a sessão de Hotel Atlântico (2009), a mesa Imagens por mulheres reúne profissionais de diferentes atividades no cinema para uma conversa aberta ao público: a cineasta e roteirista Suzana Amaral, diretora do longa-metragem, Cristina Amaral, uma das mais importantes montadoras do cinema brasileiro, Carmen Genaro, projecionista da Cinemateca, e Flora Dias, cineasta, fotógrafa e integrante do DAFB (Coletivo das Diretoras de Fotografia do Brasil).

Toda a programação tem entrada gratuita. Os ingressos serão distribuídos na bilheteria uma hora antes de cada sessão, sujeito à lotação das salas.

Para conhecer a programação completa, acesse o site da Cinemateca Brasileira.

Topo