Cinemateca Brasileira recebe a 11ª edição do IN-EDIT BRASIL

Com o objetivo de fomentar a produção e a difusão de filmes documentários que tenham a música como elemento integrador, o IN-EDIT nasceu no ano de 2003 em Barcelona. Hoje o Festival é realizado em diversos países, como o Chile, Grécia, México, Colômbia e Brasil.

A 11ª edição do Festival chega a Cinemateca entre os dias 13 e 23 de junho, contando com mais de 20 longas-metragens em mostras competitivas e especiais dos panoramas nacional e internacional.

Entre as produções brasileiras, serão exibidas Dorival Caymmi – Um homem de afetos (2019), de Daniela Broitman; Tudo pela música – Os 20 anos da Deck (2018), de Daniel Ferro; Memórias do Grupo Opinião (2019), de Paulo Thiago; Segue o baile – Bixiga 70 (2019), de Rubens Crispin Jr.; Sound System – A voz da quebrada (2019), de Fernando Augusto; We Need Songwriters (2019), de Alexandre Petillo; Zuza Homem de Jazz (2018), de Janaína Dalri. Entre os estrangeiros, destacam-se Blue Note: It must schwing (2019), de Eric Friedler com produção de Wim Wenders; Desolation Center (2018), de Stuart Swezey; Els ulls s’aturen de créixer (Os olhos param de crescer), de Javier García Lerín; Miles Davis: Birth of the cool, de Stanley Nelson; My Generation, de David Batty narrado em primeira pessoa pelo ator Michael Caine; Studio 54, de Matt Tyrnauer, entre outros. E para encerrar a programação, haverá a exibição integral dos oitos episódios da série História secreta do pop brasileiro (2019), de André Barcinski – lançada primeiro no IN-EDIT.

As sessões da 11ª edição do In-Edit Brasil tem entrada gratuita. Os ingressos serão distribuídos na bilheteria uma hora antes de cada sessão, sujeito à lotação da sala.

Para mais informações, acesse o site da Cinemateca Brasileira.

Topo