Cinusp recebe mostra Cinema do mundo árabe

O CINUSP convida o público a redescobrir o mundo árabe a partir da sua produção cinematográfica na mostra Cinema do mundo árabe, em cartaz entre os dias 13 de maio e 02 de junho. Além de uma imersão nas questões culturais, religiosas, políticas e históricas particulares desta região do planeta, a programação se desenha como uma introdução à história do cinema árabe, com produções que representam suas “três fases”. O evento tem apoio do Instituto de Cultura Árabe (ICArabe), e contará com 10 aulas do prof. Richard Peña (Columbia University).

O Egito, nação mais populosa do mundo árabe e por muito tempo o centro cultural da região, tem o maior número de representantes na mostra, uma vez que foi o primeiro dos países desse território a desenvolver uma cinematografia própria, nacional, mas que alcançava os outros países e até por isso tinha uma tendência mais “universalista”, percebida em filmes como Determinação e Central do Cairo.

As outras nações árabes ganham espaço e representatividade no cinema a partir dos anos 1960. Em filmes como o argelino Omar Gatlato, o sírio A noite e o tunisiano Os silêncios do palácio vemos uma preocupação com as especificidades de suas próprias histórias e culturas nacionais que caracteriza a chamada “segunda fase”. Além da incorporação de estilos e técnicas do cinema ocidental, essa produção aborda, a partir do cotidiano das personagens, uma riqueza ímpar de cenários, estéticas e temáticas históricas, políticas e sociais – desde os conflitos locais até o questionamento do papel social da mulher árabe. No Egito também há uma busca por identidades nacionais, como se pode ver em A porta fechada – apesar de o país não ser mais o protagonista absoluto da indústria local.

Obras mais recentes no cinema árabe não abandonam totalmente a representação das particularidades nacionais ou da região, mas adquirem também uma faceta mais “individual” em suas histórias. O público poderá conferir essas características no palestino Crônica de um desaparecimento, o egípcio São eles os cães, o tunisiano Baba Aziz – o príncipe que contemplava sua alma e o libanês Caramelo.

A mostra é uma introdução a esse cinema que a cada dia ganha mais popularidade e reconhecimento no circuito internacional. Para aqueles que quiserem se aprofundar ainda mais, o CINUSP recebe entre os dias 13 e 24 de maio o curso “O cinema do mundo árabe”, ministrado por Richard Peña, professor emérito da Columbia University.

Veja mais informações sobre o curso e a programação completa no nosso site.

Topo