Crise na Cinemateca Brasileira será tema de mesa na Semana ABC Virtual 2020

No dia 20 de outubro, às 16h, acontece a mesa “CINCO OLHARES SOBRE A CRISE DA CINEMATECA BRASILEIRA”, que será mediada pelo diretor de fotografia Lauro Escorel, ABC.

A mesa discutirá a importância da Cinemateca Brasileira para todos nós, a partir de perspectivas complementares sobre a grave crise que ela enfrenta atualmente e contará com a presença da jornalista Ana Paula Sousa, do pesquisador e realizador Carlos Augusto Calil, do diretor Roberto Gervitz e do especialista em restauração Tiago Ganhão.

Confira a programação completa: https://bit.ly/semanaabc-2020

Sobre as(os) participantes:

MEDIADOR – Lauro Escorel, ABC: Diretor de Fotografia dos filmes São Bernardo, Toda Nudez será Castigada, Bye Bye Brazil, Lúcio Flávio, Chico- Artista Brasileiro, Batismo de Sangue, Jogo Subterrâneo, Vinícius, A Fera Selva, O Lodo , entre outros. Como cineasta, dirigiu o longa-metragem Sonho Sem Fim , além de curtas e documentários como Os libertários , e mais recentemente “Improvável Encontro “ . Em 2018 realizou o documentário de longa-metragem “Fotografação “ exibido que no festival ” É Tudo Verdade ” de 2019. Participou do restauro de diversos clássicos do cinema brasileiro junto aos técnicos da Cinemateca Brasileira. Entre 2005 e 2013 deu suporte técnico ao restauro da obra completa de Leon Hirszman, e aos filmes “ Cabra Marcado para morrer, Xica da Silva , Os Fuzis, etc.. Ironweed (1987) e Brincando nos Campos do Senhor ( 1991) , consolidaram sua parceria com Hector Babenco. É membro da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood (AMPAS) e um dos fundadores da Associação Brasileira de Cinematografia (ABC) a qual presidiu por dois biênios 2002/ 2003 e 2012/ 2013 .

Ana Paula Sousa: Jornalista especializada em cinema e políticas culturais, é doutora em Sociologia da Cultura pela Unicamp e mestre em Indústrias Culturais e Criativas pelo King’s College, de Londres. Ao longo de 20 anos de carreira em redações, foi redatora-chefe da revista Harper’s Bazaar, repórter da Ilustrada, da Folha de S. Paulo, editora de cultura da revista CartaCapital e colunista da Band News FM e do Segundo Caderno do Globo. Atualmente, divide-se entre o jornalismo e o audiovisual. Escreve para veículos como Valor Econômico e Filme B, entre outros, coordena o Fórum Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e participa da curadoria do É Tudo Verdade.

Carlos Augusto Calil:  é, desde 1987, professor do Curso Superior do Audiovisual da Escola de Comunicações e Artes da USP. Foi assessor da Secretaria Municipal de Cultura (1975-79), vice-presidente da Comissão de Cinema da Secretaria de Estado da Cultura (1977-79), diretor e presidente da Embrafilme – Empresa Brasileira de Filmes SA. (1979-86), diretor da Cinemateca Brasileira (1987-92). Realizador de documentários em filme e vídeo. Autor de ensaios e editor de publicações sobre cinema, iconografia, teatro, história e literatura.

Roberto Gervitz: Realizador de filmes como Braços Cruzados Máquinas Paradas, Feliz Ano Velho, Jogo Subterrâneo, Prova de Coragem e Na Dança! Doc (todos longas-metragens). É coordenador do Fórum Paulo Emílio Sales Gomes que reúne as entidades SOS Cinemateca-APACI; ABPA- Associação Brasileira de Preservação Audiovisual; Cinemateca Viva, Cinemateca Acesa.

Tiago Ganhão: Especialista em restauração de filmes e trabalha atualmente no ANIM (Arquivo Nacional de Imagem em Movimento) do Museu do Cinema (CINEMATECA PORTUGUESA – Museu do Cinema). Ele é apaixonado por seu trabalho, que combina sua graduação em Química Aplicada, seu amor pela fotografia e processos fotográficos e sua paixão pelo cinema. Ele passou os últimos 16 anos trabalhando no laboratório fílmico da Cinemateca Portuguesa, ganhando experiência valiosa com os diferentes fluxos de trabalho usados ​​para preservar e restaurar o patrimônio cinematográfico. É membro titular da Comissão Técnica da FIAF (International Federation of Film Archives) desde 2016, consultor na área do património cinematográfico e orador regular em conferências em todo o mundo.

Topo