Inclusão e diversidade são temas de mesa da Semana ABC 2022

O segundo dia da Semana ABC 2022, 26 de maio, começa às 10h com a mesa “Inserção e diversidade no mercado audiovisual e as formas de acesso = inovação inclusiva”, mediada pela curadora e produtora cultural Marcia Vaz.

A conversa contará com a presença da cinegrafista e documentarista Fernanda Ligabue, da produtora Fernanda Lomba, da diretora de fotografia Hellen Braga, da cineasta Kujaesage Kaiabi e do roteirista e diretor Rosa Caldeira.

Sobre as pessoas participantes:

Fernanda Ligabue é cinegrafista e documentarista, com bacharelado em Imagem e Som pela Universidade Federal de São Carlos. Trabalhou como pesquisadora na O2 Filmes e como realizadora audiovisual e diretora de fotografia na produtora Filmes para Bailar. Integrou a equipe de vídeo do Teatro Oficina. Dirigiu e fotografou os documentários “Tapajós em Transe”, para a agência de jornalismo A Pública, “O Retorno da Terra Tupinambá”, produzido pela Repórter Brasil, “Segure a Linha” e “Arandu – Saberes indígenas” para o Greenpeace Brasil e “Floresta iluminada” para o Instituto Socioambiental. Atualmente trabalha como documentarista e fotógrafa freelancer para mídias independentes, ONGS e projetos relacionados a direitos ( humanos e questões socio-ambientais. É membra do DAFB – Coletivo de Mulheres e Pessoas Transgênero do Departamento de Fotografia do Cinema Brasileiro.

Fernanda Lomba é produtora de ficção e documentário para Cinema e TV. Ganhadora da bolsa para produtora executiva no American Film Market, promovido pela SPcine e LATC, em novembro de 2019. Convidada para o MIPTV, em Cannes, realizado em 2019. Nos últimos três anos, atua como parecerista de projetos e consultora. É co-fundadora e co-diretora do NICHO 54. O curta-metragem A Noite é sua primeira direção no Cinema, a convite do Consulado da Alemanha para a comemoração da reunificação alemã, em 03 de outubro.

Hellen Braga é formada em cinema na Faculdade de Artes do Paraná e trabalha na área de fotografia a mais de 10 anos. Trabalhou como assistente de câmera em diversos curtas metragem, longas de ficção e documentários, series pra TV, streaming e videoclips, que destacam-se Filho Eterno da RT features, Ferrugem de Aly Muritiba e O clube dos Anjos (em finalização) ambos com direção de fotografia do português Rui Poças, Todos os Mortos novo trabalho de Marco Dutra e Caetano Gotardo com direção de fotografia da francesa Helène Louvart, serie documental para HBO Jovens com fotografia de Janice d’Avila, 2ª e 3ª temporada da serie 3% da Netflix. Ja dirigiu a fotografia de diversos curtas, videoclips e recentemente estreou seu primeiro longa metragem, como fotografa, no festival Tiradentes com A mesma parte de um homem produzido pela produtora Grafo audiovisual dirige por Ana Johann.

Kujaesage Kaiabi (“CUNHÔ) é Indígena, mãe de três filhos, da etnia Kaiabi, residente no Parque Indígena do Xingú – “É muito raro ver uma mulher da minha etnia atuando como cineasta.” A cineasta Kujaesage Kaiabi fala sobre seu trabalho ministrando oficinas de produção audiovisual com vários povos no território do Xingu e destaca seu projeto de registro de luta por direitos das mulheres indígenas.

Rosa Caldeira, transviado cria da quebrada de São Paulo, escreve e dirige filmes premiados. Acredita na poesia do cotidiano de pessoas reais, mesclando vida e obra para trabalhar na chave do afeto. Seu último filme, Perifericu (@perifericu), recebeu mais de 35 prêmios e foi exibido em mais de 200 festivais, incluindo o Festival de Tirandeste e o Curta-Kinoforum. Ele também é co-idealizador do Festival Perifericu, festival de cinema e cultura de quebrada na periferia da Zona Sul de São Paulo. Formado em sociologia e especializado em roteiro pela Escuela Internacional de Cine y TV (EICTV) em Cuba.

Marcia Vaz é formada em Comunicação Social com habilitação em Rádio e Televisão pela UNESP – Universidade Estadual Paulista, curadora de cinema e produtora cultural. Entre curadoria, produção e comunicação vem desenvolvendo ao longo dos anos inúmeros projetos em instituições como Cinemateca Brasileira, MIS – Museu da Imagem e do Som, Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, Bienal de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil, Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo, Pivô Arte e Pesquisa, entre outros. Como curadora de filmes faz parte dos comitês do Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo, Mix Brasil – Festival de Cultura e Diversidade e Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental e FIM – Festival Internacional de Mulheres no Cinema. Foi sócia-fundadora da Pardieiro Cultural. Assina a co-produção do longa-metragem Gyuri, dirigido por Mariana Lacerda, sobre obra e vida da fotógrafa Claudia Andujar. Atualmente é programadora de cinema do Instituto Moreira Salles.

Sobre a Semana ABC 2022

Evento anual, aberto ao público, promovido desde 2002 pela Associação Brasileira de Cinematografia, a Semana ABC tem o objetivo de apresentar ao mercado, estudantes e profissionais do cinema e do audiovisual as novas tendências de trabalho e gerar reflexões por meio de conferências, painéis e debates, que reúnem profissionais de diversas áreas do setor, do Brasil e do exterior.

Para participar do evento será necessária a apresentação do comprovante de vacinação contra a Covid-19, além de um credenciamento que poderá ser feito neste link https://www.workneteventos.com.br/semanaabc/index.html ou direto na Cinemateca Brasileira nos dias do evento.

Conheça a programação completa: https://abcine.org.br/site/semana-abc-2022

 

Topo