IV Semana de Antropologia da UFS exibe Mostra Elas por Trás das Câmeras – Sergipe

A IV Semana de Antropologia da Universidade Federal de Sergipe contará com uma edição especial da Mostra Elas por Trás das Câmeras com foco em curtas realizados em Sergipe, em especial no curso de Cinema e Audiovisual da UFS. Entre os dias 4 e 6 de maio, no canal do YouTube do PPGA/UFS, estarão disponíveis 10 curtas dirigidos ou codirigidos por mulheres. A curadoria é das professoras Danielle de Noronha e Maíra Ezequiel e tem o objetivo de visibilizar e fomentar o cinema produzido e protagonizado por mulheres em Sergipe.

Para assistir, acesse: https://bit.ly/elasportrasdascameras-sergipe

Conheça a programação:

A Água Não Flui Para Trás (Dir: Dominique Mangueira)
Sinopse: Pequenas encenações, performances, imagens de arquivo, fragmentos narrativos, reflexivos e poéticos acerca da infância, da maternidade e do isolamento social, abordados a partir do olhar subjetivo da diretora.

A Viagem de Bruna Bola (Dir. Milena Araújo e Vivian Oliveira)
Sinopse: Bruna é uma bolinha vermelha astronauta prestes a embarcar em sua primeira viagem espacial. Cumprimentando o presidente com uma leve inclinação para frente, que é como as bolas se cumprimentam no planeta Bolar, Bruna se despede do seu mundo, enquanto caminha mais perto de seu sonho intergalático, viajando através das estrelas e se aventurando em sua imaginação. A viagem de Bruna Bola é resultado do trabalho final da matéria de Animação I, do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal de Sergipe, finalizado em março de 2020.

Abjetas 288 (Dir. Julia da Costa e Renata Mourão)
Sinopse: Em um futuro distópico, Joana e Valenza fazem uma jornada à deriva por uma cidade nordestina. Através da música eletrônica e trilha ruidosa, as personagens nas andanças pelas ruas, performam o que sentem enquanto vivem nessa sociedade tentando entendê-la. Abjetas 288 trata sobre territorialidades, identidades e meritocracia, tudo com um tom irônico e se utilizando de elementos alegóricos que dialogam com a história popular de Aracaju.

Babá Eletrônica (Dir. Carolen Meneses e Sidjonathas Araújo)
Sinopse: O curta mostra como as crianças estão à mercê da vigilância social para seguirem padrões que foram historicamente construídos na sociedade.

Em Concha (Dir: Clecia Borges)
Sinopse: Sob o olhar voltado para o isolamento social, transcreve-se através de imagens e uma narrativa poética as “frestas” que aparecem como ponto de fuga e de criação nesse momento.

Mariana (Dir. Milena Araújo)
Sinopse: Após Rita, mãe de Mariana, fugir de casa sem deixar explicações, a moça, de apenas 16 anos, se torna a única mulher a trabalhar na casa e no bar de seu pai, espaço sufocante e masculino. Assume também a função de escrivã de cartas e encomendas para as pessoas da comunidade onde mora, tarefa antes prestada a bom gosto por sua mãe. É através deste espaço entre as cartas e o bar que Mariana entra em contato com as diferentes razões da fuga de Rita, e começa a traçar também o seu próprio destino.

Não é Sobre Beleza (Dir. Amanda Nascimento, Céu Lima, Fannie Guimarães, Michael Roan e Matheus Souza)
Sinopse: É um projeto documental que propõe uma análise sobre o que é belo e explana a disparidade entre o caos do centro urbano e os profissionais de estética neste meio.

Ocupe a cidade (Dir. Thais Ramos e Kaippe Reis)
Sinopse: Sinopse: O documentário aborda as ocupações culturais em Aracaju tendo como base o evento Ensaio Aberto, que aconteceu entre 2015 e 2016.

Pattaki (Dir. Everlane Moraes)
Sinopse: Na noite densa, quando a lua sobe a maré, os seres presos no cotidiano da escassez de água, são hipnotizados pelos poderes de Yemaya, a deusa do mar.

Proibido pisar na grama (Dir. Letícia Lima de Almeida)
Sinopse: “Proibido pisar na grama” é um curta documentário que aborda as questões e posições que o racismo estrutural e institucional impõe à população negra brasileira, como o condicionamento ao trabalho braçal, a criminalidade e a falta de acesso a educação, é também uma mensagem de resistência.

Para mais informações sobre a IV Semana de Antropologia da UFS, acesse: https://semantufs.wordpress.com/

Topo