Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis realiza 20ª edição de 16 a 31 de outubro

A Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis realiza entre 16 e 31 de outubro a edição comemorativa de 20 anos, um marco para a produção audiovisual para crianças no país. Em 2021, o festival leva para as telas a diversidade da cultura brasileira em diálogo com o resto do mundo em uma programação extensa, totalmente virtual e gratuita. Serão 140 filmes, shows de música, sessões de cinema ao vivo e bate-papo, masterclass, oficinas para produtores culturais e crianças, entre outras atividades. Um dos destaques é a exibição especial de Tarsilinha, aguardado longa de animação inspirado na obra de Tarsila do Amaral (1886-1973). Todo o programa pode ser assistido a partir do site da Mostra: https://www.mostradecinemainfantil.com.br/

Ao longo de duas décadas, A Mostra se consolidou como o mais longevo e um dos mais importantes projetos do gênero no país. Desde então, ajudou a potencializar a produção audiovisual nacional para crianças e vem contribuindo para a formação de plateia. A Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis também se consolidou pelo compromisso com a representatividade étnica e racial, além do diálogo direto com as crianças.

– De 2002 para cá avançamos muito. A gente percebe o aumento da produção do audiovisual nacional, com qualidade. E a mostra tem responsabilidade nisso. São 20 anos exibindo conteúdos de qualidade, do Brasil e do mundo, sempre com temas muito atuais, que representam a infância das nossas crianças E é bonito ver como Florianópolis se apropriou do evento e como a produção em Santa Catarina também evoluiu – comemora a diretora e idealizadora da Mostra, Luiza lins.

Além das sessões de filmes, que podem ser assistidas de acordo com a faixa etária – tem opções para bebês até adolescentes de 12 anos -, a 20ª edição realiza atividades paralelas como os Encontros de Cinema Infantil e uma novidade: os Encontros de Mercado. Os tradicionais shows da Mostra também terão versões virtuais, com espetáculos em live streaming de Zeca Baleiro e da Camerata Florianópolis.

Abertura com Zeca Baleiro no dia 16/10

O cantor e compositor Zeca Baleiro é o convidado da abertura da 20ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis. O músico apresenta Zoró Zureta, espetáculo que reúne canções dos dois álbuns infantis do artista, Zoró (bichos esquisitos) e Zureta. No show, Baleiro apresenta pela primeira vez a música-tema de Tarsilinha, longa dirigido por Celia Catunda e Kiko Mistrorigo, que terá exibição especial no evento. Inspirada na obra de Villa Lobos, a composição dialoga com a história do filme. Uma letra inspiradora e poética sobre as raízes e a arte do Brasil. A apresentação será no dia 16 de outubro, com transmissão ao vivo a partir do site https://www.mostradecinemainfantil.com.br.
Tarsilinha, animação inspirada na obra da artista brasileira Tarsila do Amaral (1886-1973) e dirigida por Celia Catunda e Kiko Mistrorigo, terá exibição especial durante a 20ª Mostra. O filme terá sessão gratuita no dia 23 de outubro a partir do site oficial e poderá ser assistida de qualquer cidade do país. A equipe do filme e crianças juradas participam de um bate-papo após a sessão.

A iniciativa de transmitir para todo o Brasil está em sintonia com um dos propósitos do evento de democratizar o cinema e fazer com que essa arte chegue ao maior número de crianças. Depois do filme, a Camerata Florianópolis apresenta ao vivo um concerto preparado especialmente para o festival: Villa Lobos para Crianças.

O longa Tarsilinha conta a história da jornada de uma menina de oito anos para recuperar a memória de sua mãe. O filme não é uma biografia de Tarsila do Amaral, mas é inspirado nas obras da artista modernista. Em termos visuais, a personagem transita pelo universo de cores, estruturas e formas característicos do universo pictográfico de Tarsila.

– O filme se concentra muito na obra de Tarsila como um universo fantástico que ela criou.
Incorporamos o conceito do modernismo e o que foi esse momento da antropofagia. Na narrativa a gente traz esses elementos a partir da memória, da possibilidade de você absorver informações e lembranças. Incorporar uma obra como o Abaporu e transformá-lo, na narrativa, numa montanha grande lotada de memórias, por exemplo. Essa forma de incorporar o conceito modernista deixou o filme rico para quem conhece o significado disso. Quem ainda não conhece, passa a entender dentro da narrativa do filme – diz Celia Catunda, diretora da animação ao lado de Kiko Mistrorigo.

Além da exibição do longa, Celia Catunda e Kiko Mistrorigo irão ministrar a Masterclass Tarsilinha. A atividade é indicada para realizadores, educadores e interessados em cinema e na obra de Tarsila do Amaral. Os diretores compartilharão detalhes sobre as etapas da produção do filme e as escolhas criativas na adaptação para animação do universo visual da artista Tarsila do Amaral. A masterclass será no dia 18 de outubro. As inscrições para esta atividade podem ser feitas pelo site da mostra .

Janela da infância no Brasil

Na 20ª edição, a Mostra disponibilizará ao público 98 filmes brasileiros produzidos em quase todos os estados do país – uma janela da diversidade de culturas e infâncias do país. Produções que enaltecem os saberes dos povos originários, por exemplo, estarão em cartaz, como o curta Wuitina Numiá (Meninas Coragem), produzido por Rita de Cácia Oenning da Silva e Kurt Shaw. O doc Nossa Terra, de Samuel Moreira, também está na agenda, na sessão especial sobre Direitos Humanos. Um curta sensível que mostra o fortalecimento da cultura e dos saberes da etnia Xokleng por meio da educação.

A seleção reflete um dos propósitos da curadoria do festival, que é mostrar um leque do modo em que as crianças vivem e falam pelo Brasil. Outros destaques são Nana & Nilo na Cidade Verde, de Sandro Lopes; Victor, de Felipe Gaze, Wolmyr Alcantara e Darcy Alcantara; Ibiapaba “Como Nascem as Montanhas”, de George Alex Barbosa; e Maria Quitéria Honra e Glória, de Antonio Silva.

Os filmes estarão disponíveis ao longo de todo o festival para que as pessoas assistam a qualquer momento a partir do site do evento. O público poderá votar no favorito.

Seleção de filmes estrangeiros

Pelo sexto ano, a Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis apresenta uma seleção de filmes internacionais. Da América do Sul à Ásia, a programação conta com 40 filmes internacionais, produzidos em 23 países. Entre as atrações internacionais estão filmes de países como Estônia e Letônia, como o longa-metragem convidado Lotte and the Lost Dragons. Dirigido por Janno Põldma e Heiki Ernits, a animação narra as aventuras da cachorrinha Lotte na busca por um dragão místico que a ajudará dois cientistas novos da cidade a receberem um importante prêmio.

No total, serão 39 curtas-metragens e um longa nos gêneros ficção, documentário, animação e experimental. Essas produções também ficarão disponíveis para serem assistidas durante todos os dias do festival.

Encontros de Mercado: MIF KIDS

Uma das novidades deste ano são os Encontros de Mercado, espaço dedicado para falar sobre financiamento, coprodução, distribuição, produtos e serviços digitais. Ao todo, serão nove painéis voltados para realizadores, produtores e players em geral. Esses encontros estão marcados para os dias 26, 27 e 28 de outubro, sempre às 19h, também a partir do site.

O propósito dessa agenda é impulsionar o mercado e políticas públicas para o setor. A curadoria dos Encontros de Mercado é assinada por Luiza Lina e por Carla Esmeralda, diretora do Festival Internacional de Cinema Infantil e especialista no segmento.

– Ao longo desses 20 anos, a Mostra se diversificou e criou vários produtos, além do evento em si. A partir da Mostra, por exemplo, criamos o Circuito de Cinema Infantil, projeto nacional para educadores; o Cineclube de Cinema Infantil, que funciona durante todo o ano. Agora voltamos a organizar um Encontro de Mercado que, a partir deste ano, terá o nome de MIF KIDS. Essa iniciativa marca um novo ciclo e também seguirá independente da Mostra – diz Luiza Lins.

Encontros de Cinema Infantil

Os Encontros do Cinema Infantil são oportunidades para o público conhecer e conversar com realizadores e realizadoras atuantes na cena do audiovisual. São voltados para o público adulto e produtores de audiovisual. Essa agenda é realizada desde a primeira Mostra. Nesta edição, serão três encontros nos dias 19, 20 e 21 com foco em celebrar as parcerias e aproximar os festivais de cinema para crianças no Brasil e na América Latina.

O primeiro encontro, Festivais Latinos Americanos de Cinema para Crianças, agendado para o dia 19, vai receber diretores de festivais latino-americanos de países como Uruguai, Equador, Chile, Bolívia, México, Argentina e Cuba, em uma conversa com interpretação simultânea do espanhol para o português. Já no dia 20, o papo será sobre O Cinema Atual para Crianças, com colaboração dos realizadores dos curtas exibidos na Mostra. O último encontro, no dia 21, conta com profissionais brasileiros parceiros do cinema para crianças e de festivais para esse público, e aborda os 20 anos do Cinema para crianças no Brasil .

Oficina para Produção de Novos Festivais terá cinco dias de duração

Além da Masterclass Tarsilinha, a 20ª Mostra de Cinema Infantil realiza outra atividade formativa. A Oficina para Produção de Novos Festivais será realizada entre os dias 18 a 22 de outubro e foi idealizada com o objetivo de ajudar produtores, gestores culturais e interessados na área a desenvolver projetos de festivais audiovisuais a partir de práticas e conceitos sobre legislação vigente, planejamento e mecanismos de fomento, entre outros.

A oficina será ministrada por Antonio Leal, consultor e realizador de festivais, e Tetê Mattos, curadora e pesquisadora de festivais da Universidade Federal Fluminense (UFF). As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo site da Mostra.

Oficina de audiovisual para crianças disponíveis no site

Ao longo da Mostra, crianças de qualquer parte do país poderão realizar a oficina Era Uma Vez, ministrada pela professora de cinema e mestre em educação Ally Collaço. A atividade tem o propósito de estimular as crianças a coletarem elementos naturais e, com eles, construir pequenas narrativas usando a técnica de contação de história e jogos. A ideia é promover iniciação à construção básica de narrativa, etapa prévia na construção de histórias e elaboração de ideias para diferentes linguagens, entre elas o próprio cinema. A oficina pode ser feita a qualquer momento a partir do canal no YouTube da Mostra.

A 20ª edição da Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis é realizada pela Secretaria Especial da Cultura – Ministério do Turismo e pelo Governo do Estado de Santa Catarina por meio do Prêmio Catarinense de Cinema. Tem o patrocínio cultural da Eletrobrás CGT Eletrosul, Qualirede, Engie Brasil Energia, Itaú e Da Magrinha. Coordenação da Lume Produções Culturais e direção geral de Luiza Lins.

Programação completa no site https://www.mostradecinemainfantil.com.br/

Topo