Mostra Fabulações no Real promove encontro entre diretores(as) e pesquisadores(as) de cinema

Iniciada no dia 8 de setembro, a “Mostra Fabulações no Real” seguirá até o mês de dezembro, promovendo encontros entre diretores e pesquisadores de cinema para discutir filmes brasileiros lançados desde o início dos anos 2000.

Na próxima sessão, as cineastas Marília Rocha e Clarissa Campolina são as próximas convidadas a debaterem seus filmes, “A falta que me faz” (2009) e “Girimunho” (2011), na quarta sessão da Mostra Fabulações no Real. Promovida pelo Cineclube Âncora, juntam-se a esse bate-papo a professora da Universidade Federal Fluminense (UFF), Doutora em Comunicação e também cineasta, Karla Holanda e a curadora e mediadora da mostra, Kamilla Medeiros.

O debate acontecerá na próxima terça-feira (20), a partir das 18h, pelo YouTube e Facebook (link) do Porto Iracema das Artes.

Os filmes serão disponibilizados previamente, a partir de sábado. Para assistir, basta fazer a solicitação do link por meio de um formulário disponível AQUI. Verifique o recebimento na caixa de entrada ou de SPAM do seu e-mail.

Sobre as convidadas

Marília Rocha
Realiza filmes desde 1999. Em 2002 fundou conjuntamente o grupo TEiA de criação audiovisual. Em 2005 cria a produtora  Anavilhana, juntamente com a realizadora Clarissa Campolina e a produtora Luana Melgaço. Realizou os filmes Aboio (2005, Melhor Filme Brasileiro no Festival É Tudo Verdade), A falta que me faz (2010, melhor filme Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo) e A cidade onde envelheço (2017, melhor filme e melhor direção Festival de Cinema Brasília e no Festival de Biarritz). O conjunto dos seus trabalhos foram homenageados com retrospectivas no Festival Visions du Réel na Suíça, Festival de Cine Internacional de Ourense na Espanha e Semana dos Realizadores no Rio de Janeiro.

Clarissa Campolina
Nasceu e vive em Belo Horizonte, é sócia da produtora Anavilhana. Dirigiu documentários, instalações, curta e longas. Em 2015 o Programa de Residência Artística DAAD realizou uma retrospectiva de seu trabalho no Cinema Arsenal em Berlim (Alemanha). “Girimunho” (2011), seu primeiro longa-metragem, venceu o prêmio Interfilm, no festival de Veneza. “Enquanto Estamos Aqui” é seu segundo longa-metragem.

Karla Holanda
Professora do Programa de Pós-graduação em Cinema e Audiovisual (PPGCine), da Universidade Federal Fluminense, é doutora em Comunicação. É organizadora do livro “Mulheres de cinema” (2019), coorganizadora de “Feminino e Plural: mulheres no cinema brasileiro” (2017), autora de “Documentário nordestino” (2008), dentre outras publicações. É também cineasta, tendo dirigido, dentre outros filmes, “Kátia” (2013).

Kamilla Medeiros (mediação)
Pesquisadora de cinema, cineclubista e realizadora. É formada em Comunicação pela Universidade Federal do Ceará e em Audiovisual pelo curso básico do Porto Iracema das Artes. Dirigiu o curta-metragem “Capitais” de 2018, premiado com o Candango de Melhor Filme no II FestUni durante o 51º Festival de Brasília. Dedica-se aos estudos sobre documentário brasileiro e cinema de fabulação. Entre 2019 e 2020, pela Vila das Artes, organizou e mediou a mostra “Acasos, memórias & destinos no documentário brasileiro: um encontro entre Eduardo Coutinho e João Moreira Salles”, e as sessões sobre a obra de Eduardo Coutinho com as participações de Beth Formaggini, Consuelo Lins e Carlos Alberto Mattos.

Topo