Nota de falecimento: morre o cineasta Geraldo José

É com grande pesar que a ABC comunica a morte do técnico de som, editor de som, artista de foley e sonoplasta Geraldo José.

Geraldo José estreou na Rádio Tupi em 1945, como office-boy de Paulo Gracindo, onde aprendeu o ofício de sonoplasta, substituindo o titular no programa Incrível, Fantástico, Extraordinário. Entrou no cinema pela Atlântida e, em 1950, conheceu Nélson Pereira dos Santos ao contribuir para o som de Rio 40 graus. A parceria seguiria em Vidas secas, filme sem música em que Geraldo usou o ruído do carro de boi como “expressão do sofrimento e do lamento dos nordestinos caminhando pelo sertão”, em suas própria palavras.

Entre os 504 longas-metragens sonorizados por Geraldo José, mais curtas-metragens e trabalhos para publicidade, ainda se destacam Assalto ao trem pagadorBarraventoDeus e o diabo na terra do solOs cafajestesGanga ZumbaChuvas de verãoCopacabana me enganaCara a caraA hora e a vez de Augusto MatragaComo era gostoso o meu francêsOs fuzisOs deuses e os mortosA lira do delírioA queda, Toda nudez será castigadaVai trabalhar, vagabundoLição de amorOs sete gatinhosA navalha na carneA rainha diaba e o recente O baile perfumado.

Para saber mais sobre o seu trabalho:

Fonte: Meios e Mídia Comunicação

Topo