Notas sobre a fotografia de Veneza

Por Gustavo Hadba, ABC

O Veneza foi minha segunda colaboração com o Miguel Falabella, que, além de um grande criador e diretor, é um excelente parceiro e cúmplice audiovisual no que diz respeito à vontade de sair do naturalismo. O próprio roteiro já é uma fantasia, que dá espaço para brincar com a luz.Usamos a câmera Alexa da Arri com filtros Glimmer Glass que iam de um até quatro para trazer um look do melodrama dos anos 1940.

A grande questão desse filme foi que a nossa protagonista, a atriz espanhola Carmem Maura, três semanas antes de iniciarmos a filmagem no Brasil decidiu que não viria mais por conta de um surto de febre amarela (mais uma vez um desastre de saúde pública brasileira nos atrapalhando). Para resolver a questão, os produtores e o diretor tomaram uma decisão ousada, corajosa e cara e decidiram levar o filme para o Uruguai.

A partir desse momento, o que eu já tinha visitado, pensado e decupado simplesmente deixou de existir, mas ficou, e até mais fortalecido, o conceito do ambiente mágico, colorido e não localizado geograficamente. O único lugar com nome no filme é Veneza.

Com a mudança para o Uruguai, optei em usar toda a equipe de lá e como eu já tinha feito um longa uruguaio antes estava muito à vontade com eles e com o meu portunhol.

A colaboração da arte foi fundamental, como aliás sempre é. Não se faz um filme sem atores, mas também não se filma sem arte, maquiagem, figurino som e câmera. A arte foi brilhante, principalmente nos dois cenários principais, o bordel e o circo. Optaram sempre por cores que mesmo já desgastadas pelo tempo permaneciam fortes e com personalidade. Cada quarto do bordel tinha um tom e o circo uma lona roxa linda, que em uma tempestade veio abaixo dois dias antes de filmarmos… mas a força já estava conosco e ela foi levantada novamente.

Esse foi também um filme em que a atuação ditava a iluminação, então todos e todas do elenco foram cúmplices dessa luz, com ideias muito criativas em como usar e se posicionar perto ou longe das fontes luminosas.

A filmagem na cidade de Veneza foi rápida e contamos com uma equipe italiana que, ao contrário da uruguaia, não estava envolvida com o trabalho, mas todas as pessoas foram muito profissionais.

Lá usamos uma Sony F55 com o ISO alto, já que em uma opção bastante ousada do Falabella a ideia era filmar Veneza só à noite, para vermos o menor número de humanos possível e continuar com a mágica desse realismo fantástico. Ao contrário do que imaginava, Veneza não tem muitas luzes ligadas em seus monumentos à noite e tive que lutar um pouco com isso, mas acho que no final, assim como a protagonista, conseguimos!

SINOPSE:
Reencontrar o único homem que amou é o sonho de Gringa (Carmen Maura), dona de um bordel no interior do Brasil. Mesmo cega e muito doente, ela insiste em realizar seu último desejo: ir até Veneza para pedir perdão ao amante que abandonou décadas atrás. Para levá-la à cidade italiana, Tonho (Eduardo Moscovis), Rita (Dira Paes) e as outras moças que trabalham para Gringa idealizam um fantástico plano com a ajuda de uma trupe circense. Brasil | 2021 | Drama | Duração: 91 minutos | Classificação indicativa: 16 anos

ELENCO:
GRINGA: Carmen Maura
RITA: Dira Paes
TONHO: Eduardo Moscovis
MADALENA: Carol Castro
JULIO: Caio Manhente
MADAME: Georgina Barbarossa
JERUSA: Danielle Winits
MESTRE: André Mattos
GRINGA JOVEM: Camila Vives
GIACOMO: Magno Bandarz
DORA: Carolina Virgüez
MOCINHA: Laura Lobo
JANETE: Maria Eduarda de Carvalho
PAI DE JULIO: Roney Villela
VENTOINHA: Yuri Ribeiro
PEQUERRUCHO: Giovanni Venturini
PAULINA: Pia Manfroni
FEIO: Bruno Bonelli
JAIME: Yamandú Barrios
RUBIA: Paula Fernández
CANTORA CABARÉ: Alessandra Verney

FICHA TÉCNICA:
Baseado na peça teatral “Venecia”, de Jorge Accame
Direção e Roteiro: Miguel Falabella
Produção e Produção Executiva: Julio Uchôa
Fotografia: Gustavo Hadba
Direção de Arte: Tulé Peak
Figurino: Bia Salgado
Maquiagem: Martín Macias Trujillo
Elenco: Cibele Santa Cruz
Diretor Assistente: Hsu Chien Hsin
Montagem: Diana Vasconcellos
Música: Josimar Carneiro
Supervisão de Efeitos: Luiz Adriano
Som: Fabian Oliver, Álvaro Rivero
Supervisão de Som: Juliana Lopes
Mixagem: André Tadeu, Carlos Paes
Direção de Produção: Irina Neves
Coordenação Executiva: Vera Melo
Coprodução: Cris D’Amato, Fernando Muniz
Produção Associada: Daniel Filho, Diego Robino, Santiago López
Distribuição: Imagem Filmes
Produção: Ananã Produções
Coprodução: Globo Filmes, FM Produções
Produção Associada: Oriental Features
Fotos: Mari Vianna

Topo