Pesquisa apresenta a geografia e virtualização dos festivais audiovisuais brasileiros em 2019

Está disponível para acesso a pesquisa “Os Festivais/Mostras Audiovisuais em 2019: Geografia e Virtualização”, realizada pelo pesquisador e produtor Paulo Corrêa.

anuário tem como objetivo traçar um perfil dos festivais/mostras audiovisuais brasileiros que abriram inscrições para obras e que foram realizados em 2019, oferecendo um panorama geográfico (onde os eventos ocorreram) e virtual (desempenho dos processos de inscrições para essas obras) ao longo do ano.

A edição 2019 mantém os pontos da anterior, como o nível de caracterização dos eventos brasileiros nas inscrições (nacional e internacional, submissões de curtas, médias e longas-metragens) e uma planilha online com a relação dos eventos que compõem esse estudo, como anexo. Todo o anuário é disponibilizado integralmente para acesso.

novidade está na realização de um comparativo das informações do último quadriênio (2016-2019) do circuito audiovisual brasileiro – período que este anuário é realizado. O documento online anexo permite a visualização do total de festivais/mostras cadastrados, por Região e estado, interestaduais e online, eventos a partir da segunda edição e festivais/mostras estreantes, quantidade das principais temáticas ao evoluir dos anos e as formas e tipos de inscrição cadastradas nesse intervalo de tempo.

A estrutura do anuário-2019 segue a divisão tripartite: ASPECTOS GERAIS, com informações a respeito da longevidade, temática e os já citados perfis de aceitação de obras (nacional/internacional) e duração (curta, média, longa-metragem), além de notícias e acontecimentos envolvendo esses eventos; GEOGRAFIA, sobre os eventos realizados em cada estado, quantidade e municípios que sediaram festivais/mostras; VIRTUALIZAÇÃO DAS INSCRIÇÕES, em que se analisa a quantidade de submissões recebidas no circuito e o desempenho de cada forma de inscrição ofertada com base nos números reunidos.

Em 2019 teve-se registro (até o momento) de pouco menos de 350 festivais/mostras que abriram inscrições de obras audiovisuais, o menor número do último triênio (2017-2018-2019). Os estados apresentaram leves reduções nas quantidades de festivais/mostras realizados, salvo exceções como a Região Sudeste. Desde 2016, foi a menor quantidade de eventos em primeira edição, menos de 50.

Foram 266 municípios que receberam ao menos 1 evento, indicando 4% de cidades brasileiras, desempenho um pouco mais tímido do que em 2018, quando foram 360 eventos distribuídos em pouco mais de 320 municípios e percentual de 7% de ocupação do território nacional.

As temáticas com a maior quantidade de ofertas mantiveram-se assim em 2019, mas a maior redução se deu nos eventos voltados para o universo LGBT+.

O circuito abrigou quase 120 mil inscrições realizadas ao longo do ano, com a forma de especificamente virtual recebendo a maior parte dessas submissões, desenhando um perfil do festival/mostra brasileiro: que recebe em média 500 inscrições e utilizando majoritariamente o Formulário Google.

Ou seja, o circuito audiovisual brasileiro de 2019 apresentou uma leve diminuição na quantidade de festivais/mostras que tenham aberto inscrições de obras em comparação com os anos anteriores, com a principal diminuição na quantidade de eventos em primeira edição e de segmentação LGBT+.

Os Festivais/Mostras Audiovisuais em 2019: Geografia e Virtualização: http://bit.ly/2TuVLjg

ANEXO I – Relação de festivais/mostras catalogados (com abertura de inscrições e realização em 2019): http://bit.ly/festivaismostras2019

ANEXO II – Comparativo dos anuários realizados no quadriênio 2016-2019: http://bit.ly/comparativoanuarios

Link para download de todos os anuários: http://bit.ly/estudosfestivais

Topo