VAV Audiovisual: nova plataforma online conecta todo mercado audiovisual

Por Danielle de Noronha

A VAV Audiovisual nasceu com o objetivo de facilitar os encontros entre os e as profissionais do mercado de áudio e vídeo, além de descentralizar a produção nacional. A ideia da plataforma foi desenvolvida pela diretora e produtora Jade Goldfreind e pela roteirista Isadora Lemes, que ainda estavam na faculdade quando perceberam as diversas dificuldades que existem no percurso para a produção e viabilização de uma obra audiovisual no país. “A maioria dos problemas que a gente encontrava de produção na faculdade se agravou quando a gente foi para o mercado e percebemos que o buraco era mais fundo ainda”, relata Jade.

A produtora explica que existem diversas inconstâncias relacionadas à forma como a produção audiovisual ocorre no país que acabam dificultando ou impossibilitando a realização de muitas obras: “A gente cansou de ver colegas nossos engavetarem projetos que teriam uma carreira maravilhosa por conta de uma série de problemas de conexão, por uma série de coisas que poderia ser facilmente resolvida com uma tecnologia de inteligência artificial, por exemplo, que trabalhasse para o setor. Então a gente começou a fazer um estudo bem profundo para entender qual era o mecanismo que está instalado no setor audiovisual brasileiro, que ainda é muito artesanal, e na base de quem eu conheço e quem indica”.

Uma das consequências geradas pela forma como o mercado está desenhado hoje, segundo Jade, é a falta de conexão entre os produtores e os exibidores, passando pelos profissionais, que provoca a centralização do mercado nas mãos de poucos. “Os exibidores hoje têm acesso a 1% do que é produzido de audiovisual no país”, diz. Além disso, Jade ainda ressalta que as produtoras fora do eixo Rio-São Paulo ficam invisibilizadas e o mercado não tem poder de informação sobre o próprio setor.

Buscando encontrar uma solução para essas questões, elas pensaram em formas de desenvolver uma plataforma que pudesse “captar todas as informações do comportamento de mercado e utilizasse da inteligência de rede para formar conexões inteligentes” entre todos e todas que participam do setor.

Uma vitrine para o audiovisual

Por mais que a tecnologia fosse chave para desenvolver o projeto, tanto a Jade quanto a Isadora não tinham conhecimentos sobre o assunto e buscaram um parceiro da área tecnológica para dar andamento à construção da plataforma. “A gente entendia que esse tipo de tecnologia estava sendo aplicado em outros setores da economia brasileira para solucionar os mesmos problemas de forma muito bem-sucedida”, relembra Jade. Além disso, “entendemos que a gente precisava de um sócio de tecnologia, que hoje é o Guilherme Sampaio”, acrescenta.

Com a união entre as ideias e a tecnologia, a versão Beta da VAV foi ao ar em 15 de maio de 2018 e reúne três acervos interativos que conectam todas as pontas do audiovisual. Um deles é o acervo de Obras, com link para acesso à produção já finalizada, com toda sua ficha técnica. Isso cria um portfólio do usuário cadastrado, ranqueado na plataforma de acordo com o engajamento e número de visualizações das suas atividades profissionais. Jade explica que atualmente esse acervo funciona como uma vitrine, mas futuramente irá se transformar em um marketplace de licenciamentos.

O segundo acervo é destinado aos Projetos, onde estão as obras em fase de viabilização e o usuário pode inserir a iniciativa que necessita de parcerias para ser realizada, desde a captação até a pós-produção.

Já o terceiro banco de dados é o de Profissionais e Fornecedores disponíveis no mercado, que irá construir uma rede social interativa. Desse modo, a VAV terá uma rede de técnicos da área para pesquisas e os profissionais poderão estar relacionados a obras que já trabalharam ou irão trabalhar.

Como destaca Jade, “a VAV vai, pela primeira vez, colocar na vitrine toda a produção nacional. O que irá diferenciar uma produção da outra é a qualidade e a popularidade que essa produção fizer dentro da própria comunidade do audiovisual brasileira”.

A plataforma já conta com diversas parcerias com empresas e instituições, como Canon, Habro Music, Fox Brasil, APRO, FAAP, Bucareste Ateliê de Cinema, LA Film Institute, TVT, Mulheres Audiovisual, VideoCamp, revista Panorama Audiovisual e, mais recentemente, a ABC.

Para Isadora, a VAV é uma plataforma completa, “porém simples e objetiva que vai gerar e gerir uma série de informações, compondo o seu Big Data”. Ela esclarece que pela VAV será possível criar oportunidades de trabalho para mão de obra especializada, conectar investidores, fornecedores e profissionais. “Também poderá ser um suporte ao empreendedorismo que existe dentro dos realizadores, dando a eles ferramentas necessárias para que sejam não só artistas audiovisuais, mas também empreendedores de suas próprias carreiras”, diz.

O acesso à base de dados da plataforma e suas funcionalidades é gratuito. O cadastro é rápido e simplificado e o profissional pode alimentar o seu perfil conforme o seu interesse. No YouTube da VAV é possível encontrar diversos tutoriais de como utilizar a plataforma. Já para os usuários que quiserem um serviço mais personalizado, a partir do primeiro semestre deste ano, a VAV Audiovisual oferecerá a opção de perfil premium.

Além disso, Jade conta que até o final do primeiro semestre deste ano deverá ser lançada a segunda fase da plataforma, que contará com diversas atualizações: “A gente quer transformar todo o acervo, que hoje é apenas vitrine do conteúdo, em espaços de negociação de licenciamentos para obras finalizadas e para produção de projetos”. A ideia é que a inteligência artificial ajude a criar as conexões entre profissionais, fornecedores e exibidores mais adequados para cada tipo de projeto.

Para se cadastrar e fazer parte da construção da VAV, acesse: https://vav.art.br

Topo