Vem aí o VIII Festival Internacional O CUBO de Cinema em Língua Portuguesa

É isso mesmo, O CUBO – www.canalocubo.com é um canal com mais de 300 produções entre curtas, médias e longas metragens em documentário, ficção, clipes, séries, experimentais, originais, programas, e com mais de 15 milhões de visualizações, com janelas de exibição na web, smart Tvs, canais parceiros de TVs públicas e por assinatura como Looke e Amazon Prime. Essa plataforma de cinema online e gratuita, foi criada há dez anos por Fabiano Cafure e é gerida pela Kreatori Filmes, uma produtora de audiovisual, fotografia e gestora de projetos em mídias sociais e afins, que tem como objetivo se adaptar às novas mídias para desenvolver e fomentar uma produção de qualidade mais acessível ao mercado e aos novos profissionais e assim uma conexão melhor e maior com o mundo. A principal ferramenta do canal é a internet, um espaço livre, democrático e disseminador do acesso à informação e à cultura.

Festival
Depois volto a falar do canal, agora o destaque é a edição de 2021 do Festival Internacional O CUBO de Cinema em Língua Portuguesa que acontece de 09 a 12 de dezembro e que está com as inscrições abertas até 31 de outubro. Como no ano passado, por causa da pandemia da Covid-19, a programação do evento será totalmente virtual e contará com profissionais de reconhecimento cinematográfico nos países lusófonos, inclusive do Brasil, é claro. Para participar é preciso acessar o Edital do evento no www.canalocubo.com e lá tem todos os detalhes para o realizador inscrever a sua obra, que pode ser curta, média e longa metragem, incluindo conteúdo para web, nas categorias documentário, ficção, entretenimento, experimental e séries. A taxa de inscrição é de R$50 (Brasil) e 10€ (Portugal e demais países). Os filmes selecionados serão divulgados nas redes sociais do Canal O CUBO e também através do envio de e-mail do proponente registrado na ficha de inscrição. O evento não exige exclusividade, ou seja, os filmes inscritos podem concorrer em outros festivais e/ou ter licenciamento para outros segmentos, como TV por assinatura. A seleção dos filmes para a Mostra Competitiva irá analisar roteiro, direção, fotografia, produção, som e, em específico, as potencialidades da obra como um todo. Um júri composto por profissionais com experiência em produção audiovisual e em produção de conteúdo para a Web selecionará os vencedores em 21 categorias técnicas específicas.

Em 2019 o Festival ampliou sua atuação para os países lusófonos (Angola, Brasil, Cabo Verde ,Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Macau, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste) e houve a primeira participação de uma produção portuguesa, “Voo da Capo”, com o ator lusitano João Gadelha e a brasileira Priscila Ubba, sendo esta última contemplada com o prêmio de Melhor Atriz de Ficção e Série. E no ano passado, Isalina Gonçalves, de Angola, levou o troféu de melhor atriz com o filme “A Testemunha”, de Ngouabi Silva.

Homenagens
O VIII Festival Internacional O CUBO de Cinema em Língua Portuguesa homenageará dois nomes importantes na cultura brasileira:

Elisa Lucinda, poeta, jornalista, escritora, cantora e atriz. Sempre com muito sucesso, essa mulher sensível e talentosa já atuou como atriz em vários palcos e telas, além de brilhar na literatura. Elisa Lucinda é considerada uma das mais expressivas artistas brasileira da atualidade.

Luiz Carlos Lacerda, diretor, roteirista, produtor, montador, figurinista, designer de produção, ator, escritor. “Bigode”, como é conhecido no meio do cinema, é uma referência no audiovisual. Debutou na direção com o curta “O Enfeitiçado: Vida e Obra de Lúcio Cardoso”, isso em 1968 e de lá pra cá foram muitos, muitos e inúmeros trabalhos no cinema e na TV. Aliás, seu último trabalho foi a série “A Rua do Sobe e Desce, o número que desaparece”, exibida em TVs pagas.

Voltando ao Canal O CUBO
Em Portugal, o Canal O CUBO se expandiu por ação de seu fundador Fabiano Cafure, com a colaboração de Alessandra Velho, produtora executiva em Lisboa, quando em 2019, durante dois meses, houve projeções semanais na LX Factory, na capital portuguesa, grande centro de cultura e arte. Alguns anos antes, em Em 2015, O CUBO foi chancelado como “Ponto de Cultura”, pelo então Ministério da Cultura a partir do edital “Pontos de Mídia Livre 2015 (Lei Cultura Viva). Foi case brasileiro de Inovação na Web durante a 2ª Conferência Mundial de Internet, que aconteceu na China. O CUBO sempre firma parcerias financeiras para sua manutenção e divulgação do catálogo, além de ações de capacitação em audiovisual, com o projeto “Faça um Filme” – que esse ano será destinado a Cabo Verde. A importância dessa parceria com a Associação de Cinema e Audiovisual de Cabo Verde – ACACV – confirma o propósito do Canal O CUBO que é de estimular o fomento do cinema e audiovisual e ainda ativar o crescimento dessas produções nos países que compõe a CPLP. Os filmes produzidos durante a realização do projeto “Faça um Filme” estarão na edição de 2021 do Festival Internacional O CUBO de Cinema em Língua Portuguesa.

Para mais informações, acesse: www.canalocubo.com

Topo