Sessão ABC exibe gratuitamente “Marte Um” e “Eris Colors: A arte que transcende limites” na Cinemateca Brasileira

Evento acontece dia 19 de agosto, às 20h
Marte Um 018

A Sessão ABC, evento realizado pela Associação Brasileira de Cinematografia – ABC desde 2002, exibirá gratuitamente o filme “Marte Um”, dirigido por Gabriel Martins, no dia 19 de agosto sábado, às 20h, na Cinemateca Brasileira.

Após a exibição do longa, acontece um debate com as presenças do diretor, do diretor de fotografia Leonardo Feliciano, da diretora de arte Rimenna Procópio e do montador Thiago Ricarte. O evento contará com mediação da diretora de arte Ana Mara Abreu.

Para iniciar a sessão, será exibido o curta “Eris Colors: A arte que transcende limites”, dirigido e fotografado por Diogo Bezerra.

SINOPSE “MARTE UM” (115’)

Os Martins, família negra de classe média baixa, seguem a vida entre seus compromissos do dia-a-dia e seus desejos e expectativas, mesmo com a tensão de um governo conservador que acaba de assumir o poder no país. Em meio a esse cotidiano, Tércia cuida da casa enquanto passa por crises de angústia, Wellington quer ver o filho virar jogador de futebol profissional, Eunice tem um novo amor e o pequeno Deivinho sonha em colonizar Marte.

FICHA TÉCNICA

Direção: Gabriel Martins
Roteiro: Gabriel Martins
Produção: André Novais Oliveira, Gabriel Martins, Maurilio Martins e Thiago Macêdo
Correia
Direção de Fotografia: Leonardo Feliciano
Diretora de Arte: Rimenna Procópio
Figurino: Marina Sandim
Som: Tiago Bello e Marcos Lopes
Montagem: Gabriel Martins e Thiago Ricarte
Música: Daniel Simitan

SINOPSE “ERIS COLORS: A ARTE QUE TRANSCENDE LIMITES” (22’)

“Eris Colors: A arte que transcende limites” é um curta documental inspirador que segue a jornada de Eris Colors, um fotógrafo da periferia de São Paulo. O filme destaca a importância da arte e da cultura na busca por uma sociedade mais justa, convidando o público a refletir sobre o poder transformador da paixão e da criatividade. Enfrentando adversidades desde cedo, Eris encontra na fotografia uma forma de retratar a beleza e complexidade das pessoas marginalizadas pela sociedade, destacando o impacto do racismo estrutural. Com o projeto “Vendados”, ele quebra barreiras ao transformar uma laje em seu estúdio, revelando a essência dos retratados e empoderando-os, mostrando-lhes seu verdadeiro potencial. Prepare-se para se emocionar e descobrir como a arte pode iluminar a vida daqueles que a encontram. Junte-se a essa jornada inspiradora de um fotógrafo excepcional que redefine os limites da arte.

FICHA TÉCNICA

Direção: Diogo Bezerra
Roteiro: Lívia Thiago
Direção de Fotografia: Diogo Bezerra
Montagem: Henrique Nuzzi
Motion Design: Thiago Marcondes
Color Grading: Diogo Bezerra

SERVIÇO

Data: 19 de agosto de 2023
Horário: 20h
Local: Cinemateca Brasileira – Largo Senador Raul Cardoso, 207 – Vila Clementino – SP
Evento gratuito
abcine.org.br
@abcine

ABC

A Associação Brasileira de Cinematografia (ABC), fundada em 2000, reúne profissionais do audiovisual brasileiro. Hoje são mais de 450 associadas e associados e uma série de atividades realizadas, como oficinas e master classes. Através de um fórum, da Sessão ABC, Prêmio ABC, Semana ABC, do Informe ABC, boletim eletrônico enviado a cerca de duas mil pessoas, e da ABC Cursos de Cinema procura-se incentivar a troca de ideias e informações a respeito da área, além de dados sobre aperfeiçoamento técnico e artístico.

CINEMATECA BRASILEIRA

A Cinemateca Brasileira, maior acervo de filmes da América do Sul e membro pioneiro da Federação Internacional de Arquivo de Filmes – FIAF, foi inaugurada em 1949 como Filmoteca do Museu de Arte Moderna de São Paulo, tornando-se Cinemateca Brasileira em 1956, sob o comando do seu idealizador, conservador-chefe e diretor Paulo Emílio Sales Gomes. Compõem o cerne da sua missão a preservação das obras audiovisuais brasileiras e a difusão da cultura cinematográfica. Desde 2022, a instituição é gerida pela Sociedade Amigos da Cinemateca, entidade criada em 1962, e que recentemente foi qualificada como Organização Social.

O acervo da Cinemateca Brasileira compreende mais de 40 mil títulos e um vasto acervo documental (textuais, fotográficos e iconográficos) sobre a produção, difusão, exibição, crítica e preservação cinematográfica, além de um patrimônio informacional online dos 120 anos da produção nacional. Alguns recortes de suas coleções, como a Vera Cruz, a Atlântida, obras do período silencioso, além do acervo jornalístico e de telenovelas da TV Tupi de São Paulo, estão disponíveis no Banco de Conteúdos Culturais para acesso público.

Total
0
Shares
Prev
Produção de cineastas indígenas brasileiros está em foco no 34º Curta Kinoforum
Kukuho 34O Curtas Foco Questao Do Ce´u E Da Terra

Produção de cineastas indígenas brasileiros está em foco no 34º Curta Kinoforum

Next
10º Festival de Finos Filmes e New York Times: Op Docs anunciam chamada aberta de curtas-metragens
Finos Filmes

10º Festival de Finos Filmes e New York Times: Op Docs anunciam chamada aberta de curtas-metragens

También te puede interesar