Mostra de Eliane Caffé no Sesc Consolação: um retrato das complexidades do Brasil contemporâneo

Eliana Portal

A renomada cineasta Eliane Caffé comanda a pequena Mostra Cinema em Zonas de Conflito“, uma programação cinematográfica que mergulha nas complexidades do Brasil contemporâneo. A mostra apresentará sessões gratuitas de quatro filmes emblemáticos de Caffé, seguidas por bate-papos com a diretora e artistas que contribuíram para suas obras: Carla Caffé, Gero Camilo, Vera Hamburguer, Preta Ferreira e Ave Terrena. A programação acontecerá entre os dias 3 e 24 de abril, todas as quartas, às 19h, no Espaço Provisório do Sesc Consolação

Para a diretora Eliane Caffé, a importância dessa pequena mostra que o Sesc realiza com a exibição de alguns de seus trabalhos é poder oferecer um olhar sobre a sua criação e compartilhar um pouco do processo de produzir obras tão diferentes em regiões tão distintas do Brasil. “E a gente convidou pessoas que trabalharam na equipe pra se juntar também nesse relato e criar uma roda de conversa em que possamos trocar essas experiências com o público”, comenta ela. Além disso, é uma oportunidade de conversar sobre o panorama do cinema nacional e uma outra chance de assistir ao filme “Para Onde Voam as Feiticeiras”que ficou pouco tempo em cartaz. 

“Narradores de Javé” (3/4) inaugura a mostra, oferecendo uma reflexão sobre a preservação da identidade de uma comunidade ameaçada. Na sequência, “Kenoma” (10/4) mergulha na busca pela inovação em um contexto rural e tradicional. 

“Era o Hotel Cambridge” (17/4) traz à tona as complexidades da vida de pessoas em situação de refúgio e do movimento por moradia em São Paulo. “Creio que este filme mudou a sociedade brasileira, aproximando a sociedade civil dos movimentos sociais, quebrando, sim, os preconceitos contra a classe trabalhadora”, ressalta Preta Ferreira, que atuou no filme, ao refletir sobre o impacto desta obra. 

E “Para Onde Voam as Feiticeiras” (24/4) revela as interseções de preconceitos de gênero e raça nas ruas da metrópole. “Mas, especificamente falando, a afirmação das identidades trans e travestis, como pessoas que têm direitos, como pessoas que fazem parte desse país, dessa democracia, e que não são cidadãs de segunda classe, e que reivindicam poder contar a própria história por si”, expõe Ava Terrena, que também atuou neste filme. 

Ao longo de sua trajetória, a diretora Eliane Caffé vem construindo temáticas e abordagens cada vez mais implicadas com a exploração da linguagem audiovisual em “zonas de conflitos reais” – tanto no contexto rural do Brasil como nos grandes centros urbanos. Daí, a inspiração para o título da mostra do filme, refletindo sua constante busca por essas narrativas provocativas.

Em seus trabalhos é visível a experimentação com narrativas que interagem com personagens reais e agrega repertórios de seus universos de vida como coletivos com voz própria. Mais do que personagens e cenários, esses coletivos atuam em pé de igualdade com a equipe técnica do filme em todo o percurso da realização da obra. Atualmente, Caffé está voltada para consolidar a prática de pensar e produzir um cinema “polifônico”, “dialógico” e que se estenda muito além dos sets de gravações.

Para participar da Mostra, o público poderá retirar os ingressos com uma hora de antecedência. O espaço está sujeito à lotação.

Conheça a programação completa: https://www.sescsp.org.br/cinema-em-zonas-de-conflito-mostra-de-filmes-eliane-caffe/

Total
0
Shares
Prev
13ª Edição do Filmambiente terá mostra competitiva de longa-metragem nacional
Filmambiente

13ª Edição do Filmambiente terá mostra competitiva de longa-metragem nacional

Next
Festival Sesc Melhores Filmes anuncia os premiados de sua 50ª edição
7Ac5E252 0D20 6660 Cefe E3E89Eafc03F

Festival Sesc Melhores Filmes anuncia os premiados de sua 50ª edição

También te puede interesar