Você esta aqui

Sobre a Master Class ASC ARRI em São Paulo

Por Otavio Pupo

Tive a incrível oportunidade de participar do workshop da ASC no último final de semana com a presença de Dan Mindel, ASC, BSC e SASC e Bill Bennett. ASC e colaboração de mestres como Marcelo Corpanni, ABC, José Roberto Eliezer, ABC e José Francisco Neto, ABC. Além de muitos outros membros da ABC participando como equipe e alunos.

O Workshop começou com a apresentação dos professores. Dan Mindel possui uma carreira cinematográfica que dispensa apresentações e ainda colabora com três associações de cinematografia no mundo.

Marcelo Corpanni, ABC, Bill Bennett, ASC, Glen Kennel (Arri, Inc, Los Angeles), Wilson Zeferino (Arri, Inc. Miami), Mario Jannini (diretor técnico da Arri Brasil), Marcelo Trotta, ABC, Carlos Pacheco, ABC e Dan Mindel, ASC, BSC, SASC.

Bill Bennett é o primeiro membro da ASC a assinar o nome da associação com um trabalho majoritário em publicidade. Para todos os colegas que pretendem fazer algum filme de carro e/ou superfícies com muito reflexo eu definitivamente recomendo uma visita ao site dele – https://www.wfb4.com -, trabalho de mestre, de alguém que durante anos usou a publicidade como uma arte de fazer belas imagens.

A dupla ressaltou o prazer em estar em São Paulo e após uma rodada de apresentação dos alunos ressaltou que o workshop funcionaria como uma via dupla, ou seja, eles estavam ali para ensinar e ao mesmo tempo aprender conosco.

Dan Mindel disse em sua fala inicial que nós brasileiros somos artistas super interessantes e temos o poder de fazer imagens belíssimas com muito menos recurso e equipamentos, que somos muito acostumados com a arte do improviso. Ele disse que felizmente, ou infelizmente, ele tem improvisado pouco nas grandes produções nas quais trabalha.

Depois demonstrou em algumas imagens de seu trabalho alguns exemplos da técnica de poorman process, algumas que poderíamos tentar no dia seguinte no exercício no estúdio.

Sempre que demonstrava algum clipe, abriria para perguntas e sempre respondia com bom humor e descontração.

 

O dia seguinte começou com Mindel iluminando uma cena no estúdio de diversas maneiras e trocando ideias com os presentes. Além disso, falou muito sobre enquadramento, proporções, composição com cor, composição com elementos de alta luz, tons de pele, luzes dietéticas, movimentos de câmera, look de anamórficas, importância do uso do visor de contraste, etc.

Depois, o dia continuou com uma palestra de Bill Bennett sobre direção de fotografia em Slow Motion.

Bennett nos mostrou um material que filmou para uma companhia chamada REAL D, em que ele utilizou um software desenvolvido por esta empresa chamado TRUE MOTION, que possibilita decidir o shutter depois da filmagem: basta rodar em 120 quadros por segundo e obturador em 360º. Os resultados do promo que o diretor de fotografia demonstrou realmente impressionaram. O material pode ser visto em: https://www.reald.com/#/truemotion

Enquanto Bennett nos dava a palestra, Mindel montou um set up com um carro dentro do estúdio para demonstrar a técnica do poorman process, com fundo preto, e depois fomos convidados a ver sua técnica e opinar.

O dia terminou e no dia seguinte fizemos a técnica do poorman process em chroma key com o uso dos ARRI Skypanels junto com um software muito interessante chamado “Mad Mapper”. Basicamente o software lê uma imagem feita como background e transmite as mudanças e nuances de luz para os skypanels que ligados em um computador fazem o movimento de luz. O software pode ser achado em: http://madmapper.com

Depois de rodar o chroma key, saímos do estúdio e assistimos o material na cinecolor com o colorista Guilherme para debatermos e avaliarmos as imagens realizadas nos últimos dias, finalizando um workshop excelente.

Topo